Publicidade
Acompanhe:
Cotidiano | Viver com saúde Em Novo Hamburgo

Microtransplante capilar: solução para acabar de vez com a calvície

Unindo duas técnicas de alta tecnologia, especialista traz detalhes da técnica que devolve os fios de cabelo à cabeça com aspecto muito natural e sem deixar nenhum tipo de cicatriz

Por Adriana Lima
Última atualização: 16.01.2020 às 10:45

Mauri Reis nos autorizou a mostrar o seu antes e depois. Atualmente, ele tem feito sessões de Intradermoterapia Capilar para potencializar os resultados Foto: Divulgação
Um incômodo que afeta cerca de 42 milhões de brasileiros, segundo a Sociedade Brasileira do Cabelo (SBC), especialmente no sexo masculino. A calvície atinge cerca de 50% dos homens do País entre 18 e 50 anos, conforme dados da SBC. Um personagem deste grupo e que procurou solução para a condição foi o empresário Mauri Reis, 59 anos, de Dois Irmãos. Em maio de 2018, ele realizou o microtransplante capilar. "Hoje se eu pudesse voltar no tempo... Por isso penso que se as pessoas têm esta expectativa de fazer, façam logo, não deixem chegar nos 40, 50 anos. Vale a pena, o resultado é muito bom, como no meu caso não teve sequela nenhuma", conta.

O médico especialista em cirurgia de restauração capilar Maruan Hassan El Eis explica como se dá o processo da calvície. "Todos nós, homens e mulheres, nascemos com os cabelos da região frontal, parietal e coroa da cabeça geneticamente sensíveis a um hormônio que deriva da testosterona, chamado de dihidrotestosterona, popularmente conhecido como DHT, justamente por isso é mais comum ver um homem calvo do que uma mulher. Esse hormônio será produzido, no caso dos cabelos, no couro cabeludo, e o DHT vai agir sobre esse cabelo sensível e promover um processo de miniaturização, ou seja, o cabelo vai progressivamente afinando. Chegar a um padrão avançado de calvície depende de pessoa para pessoa, há pacientes que em dois ou três anos após os primeiros sinais de afinamento do fio já chegam ao estado avançado de calvície. Assim, o cabelo vai ficando mais fino, miniaturizando até chegar ao ponto da atrofia completa, aí não tem mais volta e precisa ser substituído. Todo paciente com indicação ao microtransplante capilar tem sempre duas necessidades: se não chegou ao estágio completo precisa repor o que ele perdeu e trabalhar para manter o cabelo que ele tem contra a ação do DHT. Já o cabelo transplantado ele jamais vai perder."

Novo cabelo precisa seguir mesmo ângulo

Maruan Hassan El Eis, médico especialista em cirurgia de restauração capilar Foto: Divulgação
O médico em Novo Hamburgo explica que a implantação do folículo usa uma técnica chamada que usa o método "stick and place", ou seja, fura e coloca. "O cabelo tem uma direção, um sentido e um ângulo de inclinação que precisa ser respeitado. Então, por exemplo, se eu fiz um buraco prévio o que eu enxergo é apenas um orifício e eu não consigo pegar com a pinça o folículo, que é uma estrutura muito fina, e ficar tateando até encontrar o ângulo certo, iria danificá-lo. Por isso, usamos a técnica do DHI que, com o implanter, tipo uma caneta, as assistentes carregam um folículo para a implantação. Então com uma aplicação, a agulha entra, deixa o folículo e sai, se reproduz exatamente a direção, sentido e ângulo do fio", cita.

Hassan explica que em torno de três horas e meia é feito o processo de extração e a implantação leva entre seis e seis horas e meia.

Uma técnica para retirar o fio e outra para implantar

São dois os procedimentos envolvidos no microtransplante capilar: uma técnica cirúrgica para extrair os folículos chamada de FUE - Follicular Unit Extraction (traduzindo: extração de unidades foliculares) e uma técnica adequada para a implantação destes folículos, a Direct Hair Implantation (DHI), o que vai determinar o resultado, conforme Hassan. "No FUE usamos um aparelho como se fosse uma caneta para a extração folículo a folículo, é uma técnica que não deixa marca e nem cicatriz até para não comprometer a área doadora, não adianta tirar de uma parte e deixar outra calva, e amplia minha área de extração para tirar de forma distribuída. A quantidade de folículos capilares que temos hoje é a quantidade com a qual nascemos", explica.

O médico acrescenta que a etapa de implantação ocorre logo na sequência da retirada, no mesmo dia.

Posso usar o cabelo do peito ou da barba? Sim!

Mas atenção: apenas para dar volume. "A retirada dos folículos sempre será da região lateral e posterior da cabeça do próprio paciente, é preciso usar o cabelo com características semelhantes. Os cabelos desta área, assim como os pelos do corpo, são imunes à ação do DHT. Então se eu retirar o cabelo dessa região, transplantar e ele cicatrizar, nunca mais é preciso se preocupar em perdê-lo, porque não é a zona da cabeça que é sensível à calvície, mas o fio que nasceu ali, então eu o substituo por outro geneticamente imune. O transplante é uma solução definitiva para a calvície. É possível tirar o fio da barba, do peito, existe a técnica Body Hair Transplant, ou seja, retirar o cabelo até das pernas e do abdome, mas apenas para complementar o volume. Até porque o cabelo da barba retirado e colocado na cabeça vai crescer como um cabelo de barba", responde.

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.