VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Central de Vendas: (51) 3591.2020
Whatsapp: (51) 99101.0318
PUBLICIDADE
Tecnologia

Vício em games é classificado como doença pela OMS

Publicação oficial foi nesta segunda-feira, vício em games fará parte da Classificação Internacional de Doenças (CID-11).

Divulgação
Segundo a classificação da OMS, videogames se tornam doença depois que o usuário permanece um longo período exibindo sintomas de dependência
O videogame pode viciar da mesma forma que a cocaína ou o jogo, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira (18) em uma atualização da Classificação Internacional de Doenças (CID-11). "Depois de consultar especialistas em todo o mundo e revisar as evidências de maneira exaustiva, decidimos que essa condição deveria ser acrescentada", disse Shekhar Saxena, diretor do departamento de saúde mental e abuso de substâncias da OMS.

O "distúrbio de games" on-line e off-line é agrupado com os "transtornos relacionados ao uso de substâncias ou comportamentos viciantes" na 11.ª edição da CID, a primeira grande revisão em quase três décadas. A OMS anunciou em janeiro que o problema seria reconhecido como uma condição patológica.

SINTOMAS DE DEPENDÊNCIA

Os principais sintomas incluem "controle deficiente" - notavelmente a incapacidade de parar de jogar - e se concentrar no jogo excluindo todo o resto. "A pessoa joga tanto que outros interesses e atividades são ignorados, incluindo dormir e comer", disse Saxena por telefone. Em casos extremos, os jogadores que não conseguem se distanciar de uma tela desistem da escola, perdem empregos e ficam isolados dos amigos e da família. A maioria esmagadora dos adeptos aos videogames é jovem, muitos deles adolescentes.

O comportamento sintomático deve continuar por pelo menos um ano antes de ser considerado perigosamente nocivo, de acordo com a nova classificação. Cerca de 2,5 bilhões de pessoas - uma em cada três no mundo - jogam algum tipo de jogo gratuito em telas, especialmente em telefones celulares, mas o distúrbio afeta apenas uma "pequena minoria", disse Saxena. "Não estamos dizendo que todo jogo é patológico".

Divulgação
Representantes da OMS esclareceram que a classificação não significa que todo jogo é patológico, e que a condição de doença só atinge uma pequena minoria dos usuários
Na Coreia do Sul e nos Estados Unidos surgiram clínicas para tratar o vício em videogames, junto com grupos de apoio comunitários e on-line. A inclusão do "distúrbio de games" no catálogo revisado de doenças da OMS encontrou resistência, tanto da indústria quanto de alguns especialistas. "O processo da OMS carece de transparência, é profundamente defeituoso e carece de apoio científico", disse Michael Gallagher, presidente e CEO da Entertainment Software Association, em comunicado em março.

Em um estudo a ser publicado no Journal of Behavioral Addictions, um grupo de 36 pesquisadores disse que havia evidências insuficientes para justificar a nova categoria. "Dada a gravidade da classificação diagnóstica e seu impacto social mais amplo, pedimos aos nossos colegas da OMS para pecarem por excesso de precaução por enquanto e adiarem a formalização", escreveram em um estudo que revisou a literatura acadêmica.

O CID identifica cerca de 55.000 lesões, doenças, condições e causas de morte, e é amplamente utilizado como referência para diagnósticos e seguros de saúde. "Isso nos permite entender muito sobre o que faz as pessoas adoecerem e morrerem, e tomar medidas para evitar o sofrimento e salvar vidas", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em um comunicado. O novo CID também inclui pela primeira vez um capítulo sobre medicamentos tradicionais, usado por milhões de pessoas em todo o mundo.


Veja como assistir aos jogos da Copa on-line

Tem opções de graça (e legalizadas) e também opções mais baratas que a tevê por assinatura.

Divulgação
Copa do Mundo da Fifa pode ser assistida on-line via streaming tanto no celular quanto no computador
A Copa do Mundo já está rolando e há várias situações em que você pode se encontrar obrigado a procurar uma alternativa para assistir aos jogos. Está tudo passando de graça na tevê aberta, mas nem todos conseguem conciliar a agenda e a localização para estar na frente de uma tevê na hora de alguns jogos. Para estes, há várias opções, desde as gratuitas até as pagas com preço menor que os pacotes de tevê por assinatura.

A maneira mais simples e gratuita de aproveitar uma transmissão gratuita dos jogos on-line é no site especial da Globo. Como o canal comprou os direitos de transmissão da Fifa, ali tem muita coisa de graça, inclusive ao vivo. O app da Globoesporte também está disponível na Play Store do Android e na App Store da Apple e oferece muitos destes conteúdos.

Freeimages
Evite sinais piratas por streaming, que, além de ilegais, podem deixar você na mão no meio do jogo
Outras opções são pagas. Quem tiver algum pacote de tevê por assinatura pode assistir às transmissões da SportTV em streaming pelo app da Globosat, bastando ter feito cadastro previamente, e sendo necessário fazer autenticação pela operadora de tevê por assinatura. Quem tiver o pacote do SporTV pode inclusive passar o sinal para a tevê por ChromeCast, para quem possui o dispositivo. 

Além dessas opções, há pacotes de streaming que é possível assinar diretamente no app Globo Play e no Fox+. Eles vão de 18 a 30 reais, e embora sejam pagos, são mais em conta do que um pacote de tevê por assinatura.

Claro que quem procurar também pode achar algum streaming pirata, geralmente internacional. Mas geralmente o sinal é instável, não aguenta muitos acessos simultâneos e por isso cai bastante. Além do mais, por ser ilegal, muitos sistemas são derrubados no meio da transmissão.


Leilão no RS vai ter Playstation 4 a 400 reais

Valor é referente ao lance inicial de leilão de bens apreendidos organizado pela Receita Federal em Passo Fundo.

Divulgação
Console Playstation 4 da Sony, que em junho de 2015 teve anunciada versão com 1 terabyte de disco rígido
Playstation 4, da Sony, a partir de 420 reais. Celulares de marca a 800 reais e computadores e veículos bem abaixo do preço de mercado. E tudo isso de fonte confiável: está sendo vendido pela Receita Federal. É o sonho de muito usuário.

Mas calma. Estes são os preços mínimos de um leilão de bens apreendidos que está sendo organizado pela Receita Federal em Passo Fundo, aqui no Rio Grande do Sul. São, na maioria, bens que foram apreendidos em bagagem nos aeroportos e rodoviárias,  abandonados ou confiscados em operações. Não se trata de mercadoria falsificada em caso algum.

Como todo leilão oficial, os preços são fixados em um mínimo, suficiente apenas para dar conta do serviço público de estocagem e processamento. Obviamente, os lances vão acabar deixando tudo em preços bem parecidos com o do mercado. Ainda assim, quem quiser dar uma tenteada pode consultar o edital e a lista, com fotos, no site da Receita. Os lances estão abertos até 22 de junho.

Cuidado com o CryBrazil, vírus que ataca PCs no País

Praga é uma modificação de vírus preexistentes, incluindo o WannaCry. Mantenha antivírus atualizado e não clique em anexos.

Reprodução
Cuidado com armadilha que circula por e-mail e ataca computadores brasileiros
Como se o Brasil não tivesse problemas suficientes, agora apareceu um vírus de computador que, aparentemente, ataca principalmente PCs do País. O CryBrazil, cujos ataques se intensificaram na última semana, é um ransomware, ou seja, um vírus que "sequestra" a máquina do usuário em busca de resgate. Caso o PC seja infectado, ele trava e exibe uma mensagem para que seja contatado um e-mail a fim de destravar os dados.

A imprensa especializada, que noticiou o surto esta semana, já identificou que o CryBrazil é uma modificação de vírus anteriores, incluindo o famoso WannaCry, que produziu grandes estragos em 2017. O CryBrazil é baseado em um "pacote" de desenvolvimento de vírus previamente conhecido, e aparenta ter sido montado para atacar especialmente usuários do país.

O CryBrazil chega na forma de um PDF, em um e-mail ou site fake que procura induzir o usuário a clicar para abrir o arquivo. Ele é um arquivo executável disfarçado, que em seguida paralisa o computador.

Como o CryBrazil foi elaborado a partir de uma plataforma viral preexistente, ele já é reconhecido por muitos antivírus. Daí a importância de manter o antivírus atualizado.

Precauções:

  • Mantenha o antivírus atualizado
  • Cuidado com sites suspeitos que sugerem para descarregar arquivos
  • Delete mensagens de remetentes desconhecidos ou dos quais você desconfie
  • Não abra anexos, especialmente PDFs, em e-mails de quem você não conhece. Mesmo se conhecer o remetente, só abra se conseguir confirmar que o usuário enviou de propósito