Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.
VOLTAR
FECHAR

Av. Dorival Cândido Luz de Oliveira, 6423 (parada 63) - Monte Belo - Gravataí - CEP: 94050-000
Fones: (51) 3489-4000

Central do Assinante: (51) 3600.3636
Cervejeiros
Cervejeiros

Conheça as famílias cervejeiras

No terceiro post, são abordadas os tipos 'Ale' e 'Larger'
30/08/2019 13:28 30/08/2019 13:37

Foto por:
Descrição da foto:

No último post falamos sobre os quatros ingredientes básicos da cerveja e que, apenas com esses quatros ingredientes podemos fazer mais de 70 estilos de cerveja. Temos, atualmente, 100 estilos catalogados no mundo conforme o guia de estilo BJCP (Beer Judge Certification Program).

As cervejas se caracterizam por três famílias, que se diferem pelo tipo de levedura (fermento) que cada uma utiliza e sua atuação durante o processo de fermentação, a partir das quais se subdividem os estilos:

Família: ALE (pronuncia-se "êiou")

A primeira família de cerveja descoberta são as ALE. Chamamos de Ale qualquer cerveja fermentada pela levedura Saccharomyces Cerevisae. Estas leveduras gostam de temperaturas mais elevadas na fermentação e ficam próximas ao topo do tanque de fermentação antes de decantar. Por isso, vemos, também, referências às Ales como cervejas de “Alta Fermentação”.

A fermentação com estas leveduras dá para essa família de cervejas características específicas. Normalmente, elas têm aromas e sabores mais complexos e na maior parte das vezes com notas de frutas e condimentos que vem de subprodutos que as leveduras geram.
Alguns exemplos de estilos desta família de cervejas são: as Weizenbier ou Weissbier, cervejas de trigo típicas da Bavária, região mais ao sul da Alemanha; e as Stouts, típico estilo de cerveja do Reino Unido e Irlanda.

Uma das marcas mais famosas do mundo é a irlandesa Guinness, cujo estilo é Dry Stout. Esse estilo apresenta aromas e sabores de torrefação e, dependendo da variante do estilo, ( Foreign Extra Stout, Oatmeal Stout, American Stout, Russian Imperial Stout) ela pode ter baixo ou alto corpo. Lembrando que esses são apenas alguns estilos desta família de cerveja.

Família: LAGER (pronuncia-se "láguer")

Essa família de cerveja foi catalogada a partir do século XVII. Chamamos de Lager qualquer cerveja fermentada pela levedura Saccharomyces Pastorianus (também chamada de Calbergensis). Essas leveduras gostam de temperaturas mais baixas e ficam próximas ao fundo do tanque de fermentação antes de decantar. Por isso, as Lagers também são conhecidas como cervejas de “Baixa Fermentação”.

É na família lager que se encontra o estilo pilsen. Grande parte das cervejas da família das lagers tendem a ser menos aromáticas e mais leves em comparação às da família ALE. Por conta desta levedura, geram menos subprodutos durante a fermentação. Normalmente as lagers tendem ter mais aromas e sabores vindos das matérias primas utilizadas, como o malte e o lúpulo.

Nesta família temos cervejas deliciosas como as Bock, Vienna, Rauchbier (cerveja defumada) e as tradicionais Pilsner da República Checa. Falaremos sobre o surgimento das Pilsen em um próximo post. E sobre a terceira e última família de cerveja, iremos dedicar um post completo para ela. Na próxima semana falamos mais sobre a fermentação espontânea, até o próximo post.

Cheers!

Diário de Cachoeirinha

Cervejeiros

por
bentocla@gmail.com

O universo da cerveja é o foco do blog Cervejeiros. Bento Ferreira é publicitário, especialista em Marketing Digital, Beer Sommelier pelo Instituto da Cerveja e Academia Barbante / Doemens Akademie, Homebrewer e Sommelier de Vinhos pela ABS-SP. Trabalha com Comunicação Social há 13 anos, sendo os 7 últimos com foco em criação de rótulos para cervejas artesanais

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE